Luiz Henrique, relator da MP do Código Florestal, diz que buscará o consenso

Da Redação | 06/06/2012, 16h55 - ATUALIZADO EM 19/02/2015, 23h12

Em discurso nesta quarta-feira (6), o senador Luiz Henrique (PMDB-SC), relator da comissão mista que analisa a medida provisória que complementa o Código Florestal, disse que vai buscar a convergência e a conciliação na relatoria da matéria. Ele ressaltou que procederá da mesma forma como conduziu a relatoria do projeto do novo código, hoje já transformado em lei.

- O nosso norte é buscar um meio termo nessa matéria, é buscar o que é possível, o que é factível, o que é realizável, o que vai servir, ao mesmo tempo, para manter regras fortes de preservação das nossas florestas e regras factíveis que permitam o desenvolvimento do país, que permitam que o Brasil continue seguindo na sua missão de supridor alimentar do mundo. Esse é o diapasão – afirmou.

Luiz Henrique disse que tentará ouvir a opinião de todos, “num processo convergente, sem ser conduzido por paixões ou truculência”.

- Não adianta fazer um texto contra o governo, que será vetado, nem um texto sem entendimento com os deputados, porque será alterado na Câmara – frisou, acrescentando que é preciso que cada um ceda um pouco.

Luiz Henrique lembrou que mais de 700 emendas foram apresentadas à medida provisória (MP 571/2012), e informou que irá analisá-las durante o feriado. O senador acredita que o número elevado de emendas não será um problema, pois devem apresentar “contribuições valiosas” para aprimorar o texto da MP.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

TÓPICOS:

  • 13h17 Relações internacionais: Lindbergh Farias (PT-RJ) e Tasso Jereissati (PSDB-CE) discutiram asperamente durante debate sobre a política externa brasileira com países poderosos, como os EUA, e com outros menores e mais pobres
  • 12h33 Crise no Itamaraty: Chanceler Mauro Vieira diz que fechamento de embaixadas em pequenos países não é solução para dificuldades que o Ministério das Relações Exteriores enfrenta, como sugeriu o senador Tasso Jereissati
  • 12h30 CPI do CARF: Encerrada reunião da CPI do CARF.