Você está aqui: Portal de notícias Matérias Especial

08/08/2012 - 20h41 Especial - Atualizado em 08/08/2012 - 20h41

Inácio Arruda espera celeridade na tramitação da PEC dos Jornalistas na Câmara

Enviar notícia por e-mail Imprimir

Paulo Cezar Barreto

Relator da proposta de emenda à Constituição que restabelece a exigência de curso superior para jornalistas (PEC 33/2009), o senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) declarou à Agência Senado nesta quarta-feira (8) que a aprovação da matéria em segundo turno no Senado é uma grande conquista para a categoria. O parlamentar espera que a Câmara dos Deputados aprecie a PEC rapidamente:

– Haverá celeridade da Câmara em função de ter sido aprovada no Senado com ampla margem – previu.

Segundo Inácio Arruda, o texto aprovado é resultado de extensa discussão e está “bem arredondado”, preservando os jornalistas que já obtiveram registro profissional sem apresentação do diploma. A PEC, de autoria do senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), mantém a figura do colaborador, sem vínculo empregatício.

– Tenho a impressão de que fizemos um trabalho a várias mãos, ouvindo a categoria, ouvindo o setor empregador e ouvindo aqueles profissionais que atuam na categoria sem ter a devida formação. Com tudo isso, buscamos encontrar o melhor caminho, a melhor alternativa – afirmou

O senador sublinhou que seria a “manutenção de um abuso” não distinguir pela exigência do diploma uma das categorias mais importantes da vida brasileira, que tem a “responsabilidade de transformar fatos em informações justas e corretas para a sociedade”.

Ao comentar o concurso do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), que abriu vagas para jornalistas com formação de ensino médio, Inácio Arruda disse esperar que os sindicatos da classe e a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) acionem imediatamente a instituição.

O senador afirmou que a própria tramitação da emenda, que, segundo ele, corrigirá o “equívoco estúpido” da declaração de inconstitucionalidade da exigência do diploma pelo Supremo Tribunal Federal (STF), serve de apoio aos argumentos da categoria contra o Inpa.

– Feito isso, a instituição terá que ter o zelo e o cuidado de convidar para ocupar as funções de profissional de imprensa aqueles que têm a devida formação superior.

Agência Senado

(Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

 
FacebookTwitterYouTubeFlickrInstagramGoogle PlusPinterestTumblr

Procuradoria Especial da Mulher

Banner pauta prioritaria
Manual de Comunicação da Secom
50 anos do golpe
 

Pacto Federativo