07/08/2012 - 20h50 Institucional - Atualizado em 08/08/2012 - 14h51

Exposição fotográfica no Senado lembra trajetória da Lei Maria da Penha

Enviar notícia por e-mail Imprimir

Soraya Mendanha

“Lei Maria da Penha: 6 anos em defesa das mulheres” é o nome da exposição  de fotografias inaugurada, nesta terça-feira (7), no Espaço Senado Galeria, no Anexo I do Senado. As fotos mostram a trajetória da lei no Congresso Nacional e algumas ações, da Câmara e do Senado, no sentido de enfrentar a violência contra as mulheres no Brasil.

A cerimônia de abertura teve a participação do Coral do Senado, que iniciou a solenidade com o Hino Nacional, seguido da música Maria Maria, de Milton Nascimento e Fernando Brant. Logo depois, o repentista Tião Simpatia, representando o Instituto Maria da Penha, declamou um cordel com trechos da lei.

O presidente do Senado, José Sarney, destacou no discurso de abertura da exposição a importância do momento, no qual o Senado celebra uma lei vital para o país. Ele afirmou que a situação da violência no país é grave, especialmente contra as mulheres.

– É inacreditável que em 30 anos tenham sido mortas, no Brasil, um milhão e duzentas mil pessoas. Isso significa mais do que todas as guerras regionais existentes nesse período e o pior é que as pessoas assassinas saem sem nenhuma punição – disse.

José Sarney afirmou que a Lei Maria da Penha representa uma mudança de mentalidade, que deve atingir toda a sociedade, “deixando no passado a ideia absurda de que a vítima é culpada por provocar, por consentir a violência”. Ele afirmou que a defesa da mulher é uma das mais importantes conquistas legais de nossa história recente e que a luta agora é para que a lei seja realmente aplicada.

A relatora da CPI mista da Violência contra a Mulher, senadora Ana Rita (PT-ES), afirmou que, para que haja a total aplicabilidade da lei, é necessária a participação de todos os cidadãos. Ela ressaltou que a exposição marca a luta de todos que colaboraram, de alguma forma, para o surgimento da lei.

A senadora Marta Suplicy (PT-SP) lembrou que os avanços obtidos com a lei até aqui são apenas o início.

– A exposição conta a trajetória de uma luta que, infelizmente, não terminou. Aliás, é uma luta que está começando – disse.

A senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO) sublinhou o fato de o Senado ter assegurado a celeridade na tramitação da Lei Maria da Penha, alterando os pontos que não eram consensuais. Ela afirmou que a conquista é fruto do trabalho das pessoas comprometidas com a igualdade de gênero.

Também estiveram na cerimônia os senadores Anibal Diniz (PT-AC) e Inácio Arruda (PCdoB-CE), a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), a diretora-geral do Senado, Dóris Peixoto, as deputadas Keiko Ota (PSB-SP), Jô Moraes (PCdoB-MG) e Jandira Feghali (PCdoB-RJ) e os atores da TV Globo Malvino Salvador e Oscar Magrini.

A exposição fotográfica contou com a colaboração de vários setores da Secretaria Especial de Comunicação Social do Senado (Secs). O projeto gráfico e identidade visual da exposição foram feitas pela Secretaria de Projetos Especiais (Supres). A pesquisa e o tratamento das fotos ficaram a cargo da Coordenação de Fotografia e a revisão do material foi feita pelo Jornal do Senado. Os textos expostos foram elaborados pelo gabinete da senadora Ana Rita. As peças foram impressas pela Secretaria Especial de Editoração e Publicações (Seep).

Agência Senado

(Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

 
FacebookTwitterYouTubeFlickrInstagramGoogle PlusPinterestTumblr

Procuradoria Especial da Mulher

Banner pauta prioritaria
Manual de Comunicação da Secom
50 anos do golpe

Pacto Federativo