07/08/2012 - 20h50 Institucional - Atualizado em 08/08/2012 - 14h51

Exposição fotográfica no Senado lembra trajetória da Lei Maria da Penha

Soraya Mendanha

“Lei Maria da Penha: 6 anos em defesa das mulheres” é o nome da exposição  de fotografias inaugurada, nesta terça-feira (7), no Espaço Senado Galeria, no Anexo I do Senado. As fotos mostram a trajetória da lei no Congresso Nacional e algumas ações, da Câmara e do Senado, no sentido de enfrentar a violência contra as mulheres no Brasil.

A cerimônia de abertura teve a participação do Coral do Senado, que iniciou a solenidade com o Hino Nacional, seguido da música Maria Maria, de Milton Nascimento e Fernando Brant. Logo depois, o repentista Tião Simpatia, representando o Instituto Maria da Penha, declamou um cordel com trechos da lei.

O presidente do Senado, José Sarney, destacou no discurso de abertura da exposição a importância do momento, no qual o Senado celebra uma lei vital para o país. Ele afirmou que a situação da violência no país é grave, especialmente contra as mulheres.

– É inacreditável que em 30 anos tenham sido mortas, no Brasil, um milhão e duzentas mil pessoas. Isso significa mais do que todas as guerras regionais existentes nesse período e o pior é que as pessoas assassinas saem sem nenhuma punição – disse.

José Sarney afirmou que a Lei Maria da Penha representa uma mudança de mentalidade, que deve atingir toda a sociedade, “deixando no passado a ideia absurda de que a vítima é culpada por provocar, por consentir a violência”. Ele afirmou que a defesa da mulher é uma das mais importantes conquistas legais de nossa história recente e que a luta agora é para que a lei seja realmente aplicada.

A relatora da CPI mista da Violência contra a Mulher, senadora Ana Rita (PT-ES), afirmou que, para que haja a total aplicabilidade da lei, é necessária a participação de todos os cidadãos. Ela ressaltou que a exposição marca a luta de todos que colaboraram, de alguma forma, para o surgimento da lei.

A senadora Marta Suplicy (PT-SP) lembrou que os avanços obtidos com a lei até aqui são apenas o início.

– A exposição conta a trajetória de uma luta que, infelizmente, não terminou. Aliás, é uma luta que está começando – disse.

A senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO) sublinhou o fato de o Senado ter assegurado a celeridade na tramitação da Lei Maria da Penha, alterando os pontos que não eram consensuais. Ela afirmou que a conquista é fruto do trabalho das pessoas comprometidas com a igualdade de gênero.

Também estiveram na cerimônia os senadores Anibal Diniz (PT-AC) e Inácio Arruda (PCdoB-CE), a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), a diretora-geral do Senado, Dóris Peixoto, as deputadas Keiko Ota (PSB-SP), Jô Moraes (PCdoB-MG) e Jandira Feghali (PCdoB-RJ) e os atores da TV Globo Malvino Salvador e Oscar Magrini.

A exposição fotográfica contou com a colaboração de vários setores da Secretaria Especial de Comunicação Social do Senado (Secs). O projeto gráfico e identidade visual da exposição foram feitas pela Secretaria de Projetos Especiais (Supres). A pesquisa e o tratamento das fotos ficaram a cargo da Coordenação de Fotografia e a revisão do material foi feita pelo Jornal do Senado. Os textos expostos foram elaborados pelo gabinete da senadora Ana Rita. As peças foram impressas pela Secretaria Especial de Editoração e Publicações (Seep).

Agência Senado

(Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)