Você está aqui: Portal de notícias Matérias Comissões

01/06/2012 - 17h13 Comissões - Constituição e Justiça - Atualizado em 01/06/2012 - 17h13

CCJ vota projeto que destina 50% das vagas em universidades federais a alunos da rede pública

Enviar notícia por e-mail Imprimir

Da Redação

As universidades federais poderão ser obrigadas a destinar pelo menos 50% de suas vagas para estudantes que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas. É o que prevê o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 180/2008, que a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) deve votar na quarta-feira (6), em reunião marcada para as 10h.

Pelo projeto, de autoria da deputada federal Nice Lobão (PSD-MA), as universidades federais também deverão adotar critérios que favoreçam a entrada de alunos considerados de baixa renda. Aqueles cujas famílias tenham rendimento igual ou inferior a 1,5 salário mínimo per capita terão direito a metade das vagas reservadas no projeto. Negros, pardos e indígenas também terão direito a um percentual, de acordo com a presença de cada etnia - conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) - no estado em que está situada a universidade. A medida também atingiria as escolas técnicas federais de nível médio.

A relatora, senadora Ana Rita (PT-ES), é favorável ao projeto. Se aprovada, a matéria segue para análise da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) e da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE).

Museus e ministros do TST

A CCJ também vai examinar o PLC 97/2011, que destina a museus federais os bens abandonados ou apreendidos em alfândegas, desde que tenham valor artístico, histórico ou cultural. O projeto, de autoria da deputada Alice Portugal (PCdoB-BA), tem o apoio do relator, senador Inácio Arruda (PCdoB-CE). Se aprovado, segue para análise da CE, onde vai tramitar em caráter terminativo.

Na mesma reunião, a comissão ainda vai apreciar a indicação dos juízes trabalhistas Hugo Carlos Scheuermann e Alexandre de Souza Agra Belmonte para o cargo de ministros do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Agência Senado

(Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

 
FacebookTwitterYouTubeFlickrInstagramGoogle PlusPinterestTumblr

Procuradoria Especial da Mulher

Banner pauta prioritaria
Manual de Comunicação da Secom
50 anos do golpe
 

Pacto Federativo