Você está aqui: Jornal do Senado Edição de 17 de julho de 2012 Congresso

17/07/2012 - Congresso

Alvaro teme que eventual reconvocação de Marconi pela CPI do Cachoeira seja uma tentativa de retardar o avanço das investigações

Enviar notícia por e-mail Imprimir

Líder do PSDB diz temer que um novo depoimento do governador de Goiás à CPI do Cachoeira tenha como real objetivo impedir o avanço das investigações em questões como fraudes em licitações de obras

O PSDB não vai se opor a uma eventual reconvocação do governador de Goiás, Marconi Perillo, para depor na CPI do Cachoeira, segundo o líder do partido, Alvaro Dias (PR). O senador questionou se a iniciativa não serviria apenas para a repetição do depoimento do mês passado, “ganhando tempo para poupar outros”, já que a comissão até agora só ouviu 8% das pessoas previstas.

— A convocação não nos faria deixar de avançar nas investigações que dizem respeito ao superfaturamento de obras, aos aditivos ilegais, ao pagamento de propina, ao tráfico de influência, ao desvio de bilhões de reais dos cofres da União? — questionou.

A nova convocação de Perillo pode acontecer em virtude de denúncias publicadas na revista Época desta semana de que o governador, logo após ter sido eleito, teria fechado um acordo com a construtora Delta — intermediado pelo contraventor Carlinhos Cachoeira — segundo o qual a empresa faria pagamentos a Perillo para receber em dia os recursos do governo de Goiás devidos a ela. Além disso, gravações da Polícia Federal mostram que Perillo teria vendido sua casa a Cachoeira, que teria sido repassada a um empresário para esconder a relação entre Perillo, a Delta e Cachoeira.

Segundo a PF, Perillo só liberou pagamentos do governo à Delta após Cachoeira pagar a última prestação da casa.

Em nota, o governo de Goiás classificou a denúncia de “infame e desleal”, pois os pagamentos mencionados “referem-se a um contrato de locação de veículos, firmado pelo governo anterior, e são feitos de forma continuada”.

Em seu primeiro depoimento, Perillo negou envolvimento com o esquema de Cachoeira, o que voltou a fazer na nota. Mesmo assim, o deputado Rubens Bueno (PR) defende que ele volte à comissão. Já o relator da CPI, Odair Cunha (PT-MG), considerou que, antes de chamá-lo, os parlamentares devem aprofundar a investigação.

Memorial

Alvaro também comentou a inauguração do Memorial 17 de Julho, em São Paulo, em homenagem às 199 vítimas do acidente com avião da TAM em Congonhas, há cinco anos. Ele criticou o recente processo de privatização de aeroportos.

— Uma privatização sob suspeição, sem transparência, beneficiando empresas que não podem ser consideradas as mais habilitadas — disse.

Jornal do Senado

(Reprodução autorizada mediante citação do Jornal do Senado)

Leia mais sobre Congresso